A ansiedade da licença maternidade

Logo que fiquei grávida, contei para as minhas chefes. Não queria que chegasse ao ouvido delas por outras pessoas e eu queria me livrar da ansiedade de contar. Acredito que, por mais que a relação com os chefes seja boa, sempre rola uma apreensão em contar que se está grávida. Nunca dá para saber como o chefe vai reagir… Ele pode ficar super feliz em um primeiro momento e depois ver que isso é uma chateação pela qual ele não passaria se eu não tivesse engravidado ou se ele tivesse contratado um homem. Porque, querendo ou não, é preciso resolver algumas coisas burocráticas: contratar outra pessoa para ficar no lugar, gastar dinheiro não previsto no orçamento, sair da rotina de trabalho já estabelecida por você, mudar o rumo de alguns projetos em andamento, e além de tudo, lidar com as possíveis faltas da gestante e sua queda na produtividade. Conheço poucas mulheres que mantiveram o mesmo ritmo de trabalho até o final da gravidez. A gente fica mais lerda, com sono, irritadiça, com dores, pode precisar ficar em casa de repouso, como eu fiquei… Se, aliado a tudo isso, as chefes não tiverem filhos, fica mais difícil de elas entenderem todos esses probleminhas da gravidez.

Eu não senti nenhuma animosidade com relação à minha gravidez no trabalho. As chefes gostaram da notícia, sempre brincam com o tamanho da minha barriga, perguntam se estou bem… Só que eu sempre fico com essa mania horrorosa de perseguição achando que estou incomodando as pessoas. No começo do ano, entrevistei quatro meninas para ficar no meu lugar. A chefe disse que pagaria um tanto por mês e que a pessoa começaria em março, um mês antes de eu sair de licença. Assim, ela poderia produzir conteúdo, entrar no ritmo, aprender tudo comigo e com a Mariel. Só que as contratações foram suspensas na empresa, a chefe disse que não tinha dinheiro para colocar alguém no meu lugar e o tempo foi passando. Na semana passada, ela mandou embora um estagiário e contratou outro para fazer o trabalho do antigo e cobrir minha licença. Eu insisti para que ela entrevistasse pelo menos uma das meninas que eu tinha entrevistado e que já trabalha na empresa, mas a decisão dela já estava meio que tomada e ela contratou um cara indicado pelo RH.

Comecei a passar as coisas para ele ontem, mas ele não tem interesse em trabalhar com internet e deixou claro que vai aprender para cumprir minha licença, mas o negócio dele é revista mesmo. Ele está no direito dele, claro, mas estou insegura e acho que isso é prepotência da minha parte. O site vai andar sem mim, a chefe já deixou claro que o meu lugar estará lá quando eu voltar e foi até por isso que ela pegou uma pessoa que o maior interesse é na revista e não na internet. Ela deixou claro também que essa decisão não diminui a importância do site, mas acho que, por causa dos hormônios da gravidez, eu esperava colocar alguém lá que eu indicasse, que a minha vontade prevalecesse, que eu tivesse voz ativa. Aí, eu fico me perguntando: “mas pra que? Tenho que curtir esse finalzinho de gravidez, cuidar do meu bem estar, dormir bastante (hehehe)… as coisas vão andar” Aí, eu acho que entra na jogada um lado mimado meu que eu tenho até medo de colocar para fora. Eu acho esse meu lado terrível! É um lado que exige que as coisas sejam feitas do jeito que eu quero, um lado que quer controlar tudo e todos, um lado que não consegue relaxar enquanto as coisas não saem do jeito que eu quero… É um inferno, nem eu me agüento…

Esse post é mais um desabafo, como vocês podem perceber… A Mariel ta lá passando tudo pra ele, eu vou revisar as coisas, dar toques do que estiver fora dos padrões e isso é ótimo, a chefe não tá reclamando que eu não fui. Aliás, ninguém está reclamando. Pelo contrário, todo mundo quer saber como eu estou, estão preocupados comigo e com o João Victor… E eu posso descansar um pouco em casa, ter contrações na paz, hehehehe… Mas por que a cabeça da grávida não para de pensar?

Essa é minha ultima semana no trabalho antes do João nascer. Como sexta é feriado, vou trabalhar até quinta. Estou morrendo de medo da minha nova rotina como mamãe, mas cheia de ansiedade para que ela venha logo. Mas acho que ele só vai nascer no momento em que eu estiver com algumas questões melhores resolvidas na minha cabeça. Pessoas, mandem vibrações positivas para que a mamãe relaxe!

Anúncios

2 comentários sobre “A ansiedade da licença maternidade

  1. Que pena, Fabi. Fica pra uma próxima oportunidade, né?

    Agora esquece o trabalho! É uma nova fase! Abstraia e curta muito!!!! Adorei o quartinho que vc montou!

    Bjsssssssssss e muita sorte e alegria pra vcs!!!! ^^

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s