Ser mãe é um ofício solitário

Uma vez eu li isso num depoimento de uma recém-mãe e não tinha entendido. Hoje eu entendo.

É sempre a gente que sabe se precisa de fralda, de algodão, de leite, de água quente na garrafa térmica. Se a mamadeira está feita de maneira correta (ou se o peito já esvaziou), se o banho está na temperatura certa, se as roupas ainda estão servindo e o que precisamos comprar para ele não ficar pelado. É sempre a gente que sabe quando eles estão estranhos: chorando demais ou de menos, dormindo demais ou de menos, sujando fraldas demais ou de menos, mamando em horários relativamente regulares e em quantidades aceitáveis, dormindo bem ou mal. Parece que eles mamam sempre melhor nos nossos braços (no caso do peito, isso é óbvio), que a fralda que a gente troca fica sempre mais justinha, que eles dormem melhor quando é a gente que faz adormecer.

Só que, quando alguma coisa dá errado ou sai do controle, a culpa é sempre nossa. Ou melhor, as mães acham que a culpa é sempre delas. Eu acho que a culpa é sempre minha. E eu acho que eu não tenho que exigir esse comprometimento das outras pessoas. Fico com vergonha de reclamar com os outros se acho que preciso de mais ajuda. O pai, por exemplo, continua com o trabalho dele e os compromissos que tinha antes. A mãe, não. Ela para a vida para cuidar do bebê, portanto, como posso exigir a mesma dedicação se, na verdade, eu acho que eu tenho que fazer tudo mesmo porque esse é o meu papel no momento?

“Mas, Fabiana, você precisa pedir ajudar. As pessoas precisam ajudar. O pai também faz parte. Você não fez o filho sozinha!” Eu sei de tudo isso, mas vai falar isso para o consciente? Vai pedir para ele parar de sentir culpa quando você diz: “Hoje você assume o comando porque eu preciso dormir”.

Anúncios

5 comentários sobre “Ser mãe é um ofício solitário

  1. acho q com mta paciência q as mães adquirem vcs vão chegar num equilíbrio do Mosquito conseguir resolver tudo sozinho pra vc poder ir jogar volei com as amigas, dormir, ou seja lá o q for. =)

    eu lembro pequenininha de momentos em q estavam só eu e papis. ou seja minha mãe o acostumou/incentivou a se virar sozinho…
    =P

  2. Cláudio disse:

    Tem que pedir ajuda sim. Pai tem deve participar, na verdade é ótimo participar. Que bom que o mundo mudou e o pai não é mais só o provedor. Divide as tarefas no que dá. Amo dar banho na minha bebêzinha, dar os remedios, trocar fralda, colocar no braço, passear, fazer rir…

    Minha vida, ela.

    • verdade, pai tem que participar mesmo! Na poca em que escrevi isso, me sentia bastante solitria…s vezes isso ainda acontece, mas o papai aqui j se deu conta de muita coisa, heheheheh…

      Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s