Gisele Bündchen e a “lei” da amamentação


Aí que a Gisele Bündchen disse o seguinte para a revista Harper’s Bazaar:

Algumas pessoas aqui (nos EUA) pensam que não precisam amamentar. E eu penso: ‘Você vai dar comida industrializada para o seu filho ainda tão pequeno?’. Deveria existir uma lei mundial, na minha opinião, obrigando as mães a amamentarem seus bebês por seis meses”.

Como muitas de vocês sabem (se não sabem, vão saber agora) eu não consegui amamentar o João por causa da depressão pós-parto. Só dei 15 dias de peito para ele. Mesmo tendo muuuuito leite (uma judiação), cada vez que ele vinha para mamar, eu começava a suar frio, ficava aflita, angustiada, queria chorar, me sentia invadida… Apesar de só ter durado 15 dias, foi uma decisão muito difícil parar, mas foi um alívio. Melhorei consideravelmente da DPP após parar a amamentação e pude finalmente começar a construir uma relação de amor e carinho com o meu filho.

Ninguém tem dúvidas de que o leite materno é o melhor alimento. Mas a pressão para amamentar é tão grande que às vezes a gente esquece que o mal estar da mãe pode atrapalhar até o desenvolvimento do bebê, que poderia ser melhor cuidado se estivesse tomando mamadeira. Fora aquelas mulheres que não produzem leite, que tomam algum tipo de remédio e não podem amamentar, que ficam hospitalizadas por algum motivo e não conseguem dar o leite… Sofrimento pouco é bobagem!

Em compensação, na mesma entrevista, ela fez a seguinte declaração:

“O nome é ‘trabalho‘ de parto e não ‘férias’ por alguma razão, e eu sabia disso. Você vai querer encarar a mais intensa experiência física da sua vida despreparada? Para mim, não faz nenhum sentido. Então eu fiquei pronta e pensei, ok, vamos trabalhar. Não fiquei esperando alguém para tirar o bebê de dentro de mim”.

Tá aí. Falou alguma coisa de útil.

Gisele, querida, fique quietinha, de vez em quando, por favor.

Beijos e me segue no Twitter, gente! @fabianafaria

Anúncios

9 comentários sobre “Gisele Bündchen e a “lei” da amamentação

  1. É complicado… na verdade acho q o pessoal faz esse apelo todo p a amamentação que é p acabar com aquela história de “amamentar faz o peito cair”. Então ficam fixando essa história da importancia como se não existisse outra alternativa. Eu amamentei a minha filha até os 9 meses, quando ela passou a me empurrar, mas acho que o erro está na orientação da gestante. Todo mundo fala q amamentar é lindo, maravilhoso e tal… acho que falta alguém preparar as futuras mãe com a verdade, eu diria algo do tipo: Doi muito no começo, sangra, fica em carne viva e vc chora de dor até calejar seu peito, mas o seu bebê ainda não tem anticorpus então se ele mamar no seu peito vai ganhar imunidade mais rápido. É isso que eu falaria p uma gestante hoje. Nos primeiros dias eu não aguentava nem ficar com uma camiseta encostada em mim, como vou falar p alguém q é lindo e maravilhoso??? Eu quis amamentar, foi uma opção minha, mas se tem gente que não consegue o mundo tb não pode crucificar!! Depois disso, acho que a decisão final é da mãe unica e exclusivamente, pq existem casos que precisam colocar mais coisas na balança, como, por exemplo, no seu caso.
    bjo

    • Samara disse:

      As campanhas são lindas, mas falta realidade, né? Ainda mais a realidade da Gisele…ela não pode achar que a realidade dela é da maioria, né? Me poupe. Apesar de ser uma coisa natural para a mãe, não é tão simples quanto parece, não para todas. Eu também amamentei com muiiiiito sacrifício, essa é bem a verdade. Tive diversos problemas e mesmo assim insisti muito, mas não foi possível amamentar o tempo que eu “planejava” e sofri muito com isso, muito mesmo. Mas meu filho tem uma saúde de “ferro”, tem uma alimentação rica em todos nutrientes e tem muito amor, só nós sabemos do nosso amor, mas ninguém…

  2. Oi, guria. Faz tempo qeu eu não escrevo aqui. Obrigada por sempre passar lá no blog dos meninos. Ah, antes de tudo… você está linda com o seu desafio de mãe. Parabéns, viu? Muito bacana ver que o seu esforço está valendo a pena e que é possível voltar ao ‘normal’ depois do parto. Eu continuo enooooooorme, mas ainda não desisti. É que aqui as coisas são mais complexas,já que moro longe da minha família, a família do marido não pode ajudar com os meninos pq tds trabalham… e, por fim, pq são dois bbs, né?

    Mas, falando sobre o post. Eu amamentei eles até os 5 meses. Acontece que eu tinha pouco leite e no final desse período começou a ficar bastante estressante dar mama par aos dois. 20 minutos cada, mais 15 minutos pra arrotar. Assim sendo, 40 minutos amamentando, 30 minutos arrotando e eles mamavam de 3 em 3 horas, obrigatoriamente, por serem prematuros.

    Chegou uma hora que nem eu aguentava mais, nem eles. Eles mordiam, choravam, não queriam de jeito nenhum. É claro… tinha leite mas era pouco, eles tinham fome e precisavam se alimentar. E o NAN foi a solução desde que nasceram. Só que eu me sentia muito cobrada por mim mesma, por não poder dar mais leite para os meus filhos.

    Acho muito difícil uma mãe, em estado considerado “normal”,se negar a dar mama para um filho. Entretanto, existem casos e casos, não é? Não é a lei que muda a cultura de um povo. São os bons exemplos. Sendo assim, acredito muito mais no valor das campanhas que alertam para os benefícios da amamentação, como forma de levar uma informação importante para as pessoas e inserir a prática na sociedade do que uma lei que obrigue uma pessoa a amamentar. Acho até que uma lei que obriga a isso pode gerar casos muito mais sérios de DPP, fazendo com que muita mãe que não consegue amamentar o filho acabe em uma situação ainda pior.

    Bem, já divaguei demais. 😀
    O seu blog está lindo, lindo.
    Beijos, menina.

  3. Oi Fabi!

    Amamentar qdo não se tem nenhuma dificuldade é ótimo,mais qdo não da pra amamentar é claro que existe outras milhares de maneiras de ter intimidade e aconchego com o filho,eu amamentei minha filha até os 8 meses,mais confesso que já estava esgotada…aff…sinceramente não sei como tem Mãe que amamenta por anos,não tenho nada contra,mais pra mim não dava…rs
    Com amamentação ou sem ser Mãe é maravilhoso!!!

    Seu filho é um LINDOOO,que coisinha mais Fofaaa! E que carinha de sapeca hein? Coitada de vc nem vai precisar de academia…haha Parabéns!!!

    Muito obrigada pela visita no meu blog!

    Beijosss e Foça na RA qualquer coisa da um grito…hehe

  4. Amamentar de fato é um ato de amor, MAS se a mãe estiver bem…
    Na gravidez da Ellen sofri com DPP tb, e começou logo na gestação, falei com meu médico que sempre repetia que grávida gosta de tomar remédios, sofri por 3 anos…
    O ato de amamentar foi uma tortura, nem acreditei no dia em que secou, foi um alivio mesmo…
    Hj com o Felipe tem sido mto doferente, to adorando amamentar, ta sendo bem menos dolorido e quero dar o peito até onde tiver leite, to quase tomando remédio pra juntar mais… Mas hj estou bem, minha médica me ajudou mto a não entrar em DP de novo…
    O duro é que reportagens como essa, faz mtas mulheres se sentirem culpadas… Era como me sentia na gravidez da Ellen…
    Hj sou do tipo culpa Zero…
    Bjs
    🙂

  5. Ministério da Saúde disse:

    Olá!
    Você pode ajudar o Brasil a continuar livre da poliomielite! Ajude a divulgar informações aos papais e mamães, para que eles não se esqueçam de levar seus filhos menores de cinco anos para tomar a segunda dose contra a paralisia infantil, no próximo dia 14. Essa simples atitude faz com que as crianças do nosso país estejam protegidas de uma grave doença.
    Caso tenha interesse em ajudar a divulgar a Campanha Nacional de Vacinação Infantil, e para obter mais informações ou materiais da campanha – como o filme e banners -, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br
    Obrigado por sua colaboração!
    Ministério da Saúde

  6. Juliana disse:

    Na verdade, como uma pessoa conhecida e muito imitada acho que a Gisele esta certa em estimular algo que é necessário para a maioria dos bebês. O seu caso e o de mães com pouco leite são exceções e não a regra.
    Uma pessoa que pode influenciar mulheres no mundo todo está certa em incentivar a amamentação, o que é comprovadamente necessário. Talvez se a Gisele tivesse usado a palavra incentivar no lugar de obrigar, a frase não ficasse tão ruim, mas existem lugares no Brasil e no mundo onde as mães não tem condições de comprar preparados como NAN e precisam de incentivo para amamentação.
    Nos Estados Unidos onde enfrentam problemas enormes com obesidade infantil por excesso de produtos industrializados na dieta da população, alguém incentivando uma dieta mais natural também deve ser elogiado.

  7. meusconvidados disse:

    Aplausos para seu post!
    AMEI E CONCORDO COM VC!!!
    Somos + MÃES do q muitas por aí q amamentam, pode crer!!!
    Beijos, Kaká e Brunna.

    • Meninas, amei todos os comentários!!!

      É, Ju, talvez se ela tivesse usado o incentivo, não tivesse ficado tão feio. No dia seguinte, ela publicou em seu blog uma declaração pedindo desculpas, dizendo que não queria julgar ninguém e tal… Enfim, de vez em quando, eles falam umas porcarias mesmo, hehehhe…

      Um grande beijo,
      Fabi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s