Depois que eu separei

divorcio

Todo mês de dezembro “comemoro” mais um ano de separação. Já se foram 3.

O que eu posso dizer… Bom não é, mas às vezes é a única opção. Ou a única opção para o momento. Para que os dois possam crescer, se autoconhecer e se tornarem seres humanos melhores (ou, pelo menos, para que VOCÊ busque tudo isso).

É sofrido? É. Dói? Muito. É difícil de lidar? Demais.

Difícil de lidar com a solidão, com você mesma perante a vida, com as responsabilidades com a educação do filho, com a jornada tripla que agora é só sua e, claro, com o coração da pequena criança (ou das) que ficou. E, dependendo de como você lida com essa separação, os traumas nos pequenos ficam para sempre.

Difícil de lidar com a desproteção, com o mundão lá fora que te consome e você não tem um colo pra deitar quando volta pra casa.

Difícil também lidar com a solteirice de novo. Confiar em alguém, se entregar sem medo, achar que o outro é suficiente e capaz, não se irritar com cada xaveco furado.

Muito difícil lidar com o corpo que ficou. Mais gordinho e cheio de marcas, que o outro já gostava do jeito que tava. E agora você tem que encontrar alguém que goste tanto quanto (mas você mesma odeia esse corpo. Então, como lidar?).

divorcio

Tem o lado bom? Claro que tem!

Você consegue passar mais tempo sozinha. A princípio, não sabe muito bem o que fazer. Vai achar que a casa está vazia, que a vida está sem graça e que nada tem sentido se o pequeno não está. Mas, aos poucos, vai perceber o quanto esse tempo pode ser precioso: vai colocar suas séries em dia, almoçar comida quente, encontrar suas amigas pra tomar cerveja. Vai até poder ficar bêbada de novo, se quiser. E dar uns beijos na boca, claro, porque ninguém é de ferro.

E vai entender que o mundo não gira (nem pode girar) em torno do seu rebento. Você pode e deve ser alguém além dele. Só assim ele vai se sentir completamente livre pra ser quem ele é. E só assim você vai estar pronta e tranquila pra quando ele disser: mãe, tô saindo de casa (acha que eu estou exagerando, né?!).

Mais um lado bom: o autoconhecimento. Se a sua busca interior for legítima no período pós-divórcio, você vai descobrir forças que nem sabia que existia. Nesses 3 anos, muita coisa aconteceu comigo, principalmente na área profissional, que me fizeram descobrir e desenvolver habilidades que eu nunca imaginei que pudesse ter.

Na área pessoal, então, é uma introspecção total. E eu só preciso pensar em mim e no meu filho. Não preciso agradar a uma terceira pessoa que nem sempre está na mesma vibe que eu. Ou que nem sempre dá valor para as mesmas coisas que eu, entende? As minhas escolhas são muito mais verdadeiras hoje.

tati-bernardi

É possível fazer tudo isso que eu contei aí em cima estando casada? Não sei. Não passei por essa experiência. Talvez você, leitor(a) casado(a) possa me contar.

Se eu faço apologia à separação? Claro que não! Eu quero mais é que os casamentos durem pra sempre. Mas que sejam casamentos com amor de verdade. Casamentos saudáveis, com projetos e planos, com todo mundo pensando em um bem comum.

Se o seu casamento está em crise, eu só posso pedir que você tente. Se ainda existe amor e carinho, tente até o final. Eu lutei pelo meu casamento por um ano, até chegar ao meu limite.

Se o seu casamento já acabou, fique bem. O pior vai passar. Vá até o fundo da dor. Chore muito, soque o travesseiro, escreva, grite, ligue pros amigos pra desabafar. Isso vai passar, de verdade.

Se você finge que o seu casamento é uma maravilha, que pena.

Agora, se o seu casamento é bacana mesmo, aproveite! E ligue agora pro(a) respectivo(a) e fala que o ama, por favor. 😉

Anúncios

8 comentários sobre “Depois que eu separei

  1. Você não precisa se sentir mal por estar feliz em estar separada, realmente nem todos os casamentos foram feitos para durar… Acho que essa receita (a do casamento para sempre) está cada vez mais difícil de se fazer. Não acho também que exista um casamento perfeito, onde os dois estão felizes e contentes todos os dias a todos os momentos, mas creio que existam casamentos equilibrados e responsáveis sim. Problemas e diferenças todos sempre terão, e não existe o príncipe encantado, até mesmo porque não somos princesas encantadas. Somos pessoas reais, com falhas e maluquices. Tenho uma amiga que sempre me disse que o casamento perfeito é a combinação de duas neuroses, e ela tinha razão. Não existe essa coisa dos opostos que se atraem, pois eles também se atracam. Acredito que um casamento duradouro envolve viver de uma forma totalmente diferente da que se “prega” hoje em dia, pois envolve companheirismo e amor (amor não é um sentimento, mas sim uma profunda admiração que se tem pelo outro, ao ponto de ver seus defeitos de forma positiva, portanto amor não é paixão e nem tesão, mas pode envolver essas duas coisas em alguns momentos), além de outras cositas mais, e um outro detalhe super importante: renúncia. Quando nos casamos nos deparamos com uma pessoa diferente, com hábitos diferentes que podem conflitar demais, e aos poucos, para essa união funcionar, os dois precisam ceder e deixar de ser pessoas únicas, separadas, para se tornarem um só – uma só personalidade – e isso é muitooooo difícil… É nesse processo, creio eu, que muitos casamentos acabam. Eu e meu marido mudamos muito desde que nos casamos, ele aprendeu a ser mais colaborador e falar menos, e eu aprendi a exigir menos e ser mais tolerante… Aprendemos muitas coisas, mudamos bastante, mas a cada dia é um novo desafio para conseguirmos acertar esse passo difícil da dança da vida de um casal. Posso dizer tranquilamente que no início esse processo é muito doloroso, mas depois vai ficando só difícil! rsrsrs
    Espero que não desista do casamento, ele é difícil sim, mas também muito bom! No tempo certo você encontrará um bom companheiro e conseguirá encarar essa jornada que tem muitas dificuldades, mas também muita satisfação e felicidade.

    • Oi Carolina, tudo bem? Obrigada pelo seu super comentário! É tão bom compartilhar experiências… Concordo com exatamente tudo o que você disse. Não sou exatamente “feliz por estar separada”. Estou bem resolvida sozinha hoje. Amanhã pode bater uma carência danada e eu posso ficar melancólica. E depois de amanhã eu posso me sentir bem resolvida por estar sozinha de novo. E tudo bem. Quando tô carentona, escrevo pra desabafar, saio com as amigas, vou pra balada, dou uma choradinha… E pronto. 😉

  2. Célia Regina Vasconcellos disse:

    O importante é deixar-se levar…
    Tudo tem seu tempo.
    É melhor não corrermos atrás da tal felicidade, que não tivemos durante o casamento.
    Prefira correr atrás do seu amor próprio, do seu auto-conhecimento, do seu crescimento como pessoa, mãe e profissional.
    Digo, por experiência própria: não é fácil!!! Mas não é impossível!!!
    Ah! Se eu tivesse feito diferente…
    Por isso, Fá: faça a diferença e seja muito mais feliz do que antes.
    Bjs
    Te amo!!!

    • Você tem razão, mãe, e é isso que eu faço. De vez em quando bate uma melancolia. Aí, eu escrevo. E aí a melancolia passa. 😉 Beijos

    • Oi Aline, obrigada pelo carinho! Vou acompanhar o seu blog tb. 😉 E vou ler o texto que enviou, é claro. Beijocas

  3. Nubia RJ disse:

    É verdade, separação não é fácil. Tb passei por isso há uns 2 anos e posso dizer não foi fácil e tb não morri por isso. Realmente vamos vendo que temos força que jamais pensávamos ter. No início nos fazemos vários questionamentos, eu como vc, tb tentei até o fim….mas nao deu certo e sinceramente, vida que segue. Temos que ser mais felizes. Eu acredito no amor, acredito na união do casal, acredito que ainda posso tentar ser feliz ao lado de outra pessoa. Mas antes, eu te digo….aproveite sua vida, pense na sua vida, busque os amigos, saia, divirta-se sem ter hora pra acabar e seja feliz. Afinal vc já deu um passo…então agora o momento é seu e quando vc menos esperar aparecerá um outro alguém que te deixará mais feliz. Um grande abraço
    Adorei seu blog. Foi a primeira vez que vi e gostei.

    • Oi Nubia, tudo bem? Obrigada pela visita e volte sempre! Já faz 3 anos que me separei e realmente ficamos com uma força sobrehumana. Tanto que hoje penso 300 vezes antes de sair com alguém. Prefiro me divertir com os meus amigos, com meu filho e minha família, sabe? De vez em quando, bate uma carência, mas logo passa. 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s